RIO PARACATU AGONIZA

Desde 1993, quando o MOVER realizou a primeira barqueata por um trecho do Rio Paracatu, alertávamos sobre a necessidade de cuidarmos do Rio.
De lá para cá foram realizadas várias expedições sempre no intuito de mostrar as belezas do rio e a necessidade urgente de maiores cuidados, pois sentíamos que ele estava morrendo.
Hoje vimos a agonia do maior afluente do Rio São Francisco, que contribui com aproximadamente 26% das águas do Velho Chico.

Agora praticamente TODAS as Nascentes e Veredas da Bacia estão secas.
Falta de aviso e de alerta não foi.
Além do desmatamento predatório de toda a bacia, equivalente a mais de 4 milhões de campos de futebol, temos o uso irracional de suas águas sem os devidos cuidados.
O Poder Público e a comunidade ouviram e ignoraram.
Parte do Rio já não tem água para manter a sua própria vida, e nem manter os inúmeros empreendimentos que dependem destas águas.
Praticamente todas as cidades da Bacia do Paracatu estão com dificuldades imensas para abastecerem a comunidade.
Esta situação já é catastrófica para o Rio e para a região que tem em suas águas a sobrevivência do Noroeste de Minas.
A vazão histórica do Rio Paracatu é de mais de 600 metros cúbicos por segundo.
Hoje o que temos é um Rio com 450km de extensão, onde sua metade até o encontro com o Rio São Francisco é mantido pelas águas do Rio Preto por meio das águas que vertem da barragem da Usina Hidrelétrica de Queimados em Unaí MG.

Veja o Vídeo abaixo “agonia do Paracatu”

agonia do Paracatu

Nenhum Comentário