AINDA DÁ TEMPO?

Alguma vez você já sonhou com um lugar onde o ar que você respira é macio e limpo, onde as crianças brincam em áreas verdes e o som das armas não batem em seus ouvidos? Alguma vez você já sonhou com um lugar aonde os ventos do inverno nunca vão te incomodar, e os seres vivos e a natureza têm espaço para crescerem em harmonia e equilíbrio?
Este lugar existe, e poderíamos estar juntos fazendo com que ele por muito tempo nos dê condições de vida harmoniosa no presente e para as futuras gerações.
A nossa casa e mãe terra, vive por todos os seus cantos uma crise sem precedentes que nos tem trazido uma infelicidade imensa. A crise comportamental vivida pelos seres humanos é clara. Os humanos se individualizaram e entendem que devem buscar a sua sobrevivência a quaisquer custos baseada no poder do dinheiro. Só não vê quem não quer!
Na Ásia, na Europa, na América do Norte e na América do Sul as notícias têm nos mostrado que estamos caminhando em direção a um sofrimento sem precedentes na terra.
No Brasil a chamada Crise Hídrica aos poucos vai afetando todas as pessoas de norte a sul do país. As autoridades que são escolhidas pela população não se entendem, e a cada dia que passa fazem com que a comunidade caminhe a qualquer custo, reforçando o desespero de uma nação inteira.
Por outro lado não podemos perder de vista que o universo é um ser vivo com constantes mudanças e transformações, e que a Terra é parte deste mecanismo.
O que vem acontecendo é que sem levar isto em conta, os humanos desestabilizaram este planeta, fazendo com que ele não tenha capacidade de reação frente às mudanças naturais que regem as leis do universo.
Várias culturas já previam o fim dos tempos, que para estudiosos significa que existem datas limites para que a humanidade buscasse uma mudança de comportamento, de forma menos gananciosa e mais contente com o que a mãe terra pode proporcioná-los para o seu bem estar.
Isto pode ter sido previsto pelos Maias com relação a 2012.
Pense nisto.
Ainda dá tempo para fazermos algo, humanos omissos?

Nenhum Comentário